Sessões Lendas Sublimes | Como revolucionar o seu negócio? Garanta aqui a sua presença!

SAIBA MAIS

Regras em matéria da Gestão de Resíduos na Hotelaria e Restauração

19/08/2019
por José Ferreira

Todos os estabelecimentos do ramo da Hotelaria e Restauração tem o seu problema de lidar com as questões dos resíduos. 

Deve adotar métodos ou equipamentos que permitam assegurar a separação dos resíduos de forma a promover a sua valorização por fluxos e fileiras: papel ou cartão/embalagens/vidro/resíduos orgânicos/óleos usados.

Óleos alimentares usados (OAU) - Os produtores de OAU do sector da restauração são responsáveis pelo seu encaminhamento para um dos seguintes destinos:

a) Operador de gestão de resíduos, devidamente licenciado, sem custos para o produtor ou detentor;

b) Município respetivo, através dos pontos de recolha previamente indicados pelo mesmo quando a produção diária de OUA não exceda 1100 l.


Caso produção diária de OUA seja superior a 1100 l, o encaminhamento para o município respetivo é feito nos termos de acordo voluntário a estabelecer.

Excluem-se da definição de óleos alimentares usados, os resíduos da utilização das gorduras alimentares animais e vegetais, das margarinas e dos cremes para barrar e do azeite.

 Os estabelecimentos devem conservar o certificado de OAU emitido pelo município ou operador de gestão de resíduos que assegura o encaminhamento dos respetivos OAU em seu poder, durante o respetivo período de validade, e apresentá-los às autoridades fiscalizadoras sempre que por estas forem solicitados. Este certificado tem validade máxima de um ano.

 

Para mais informações sobre o sistema OUA consulte as perguntas frequentes no sítio da internet da Agência Portuguesa do Ambiente.

Embalagens não reutilizáveis - Para a comercialização de águas, cervejas e refrigerantes para consumo imediato em embalagens não reutilizáveis (de tara perdida), deve o responsável do estabelecimento de restauração ou de bebidas aderir a um sistema de recolha seletiva que garanta a reciclagem das embalagens usadas. Excetuam-se os concentrados destinados à preparação de bebidas refrigerantes por diluição no próprio local de consumo.

 

Para o efeito, pode optar por aderir ao sistema de qualquer uma das seguintes entidades gestoras licenciadas, mediante a celebração de contrato:

Sociedade Ponto Verde, que emite um certificado VERDORECA;


Novo Verde, que emite um certificado Novo Verde.

10 Propostas de Segurança para um estabelecimento de Hotelaria & Restauração

12/08/2019
por José Ferreira

Quem não quer ter problemas com questões de segurança não deve descurar dela, não se esqueça que basta um pequeno problema com a segurança dos seus clientes ou funcionários para uma casa perder o nome e credibilidade.

Siga estes 10 passos para certificar que tem um estabelecimentos seguro e previna males maiores.

1) Nunca reduzir os seus custos com a Segurança

2) Desenvolva plano de acção de emergência

3) Formação contínua aos colaboradores na área da Segurança

4) Inspecção sistemática de todos os dispositivos de alarme

5) Manutenção adequada de todos os equipamentos de Segurança

6) Teste periodicamente os sistemas automáticos de extinção

7) Organize detalhadamente programa de gestão de crises

8) Estabeleça acções de treino de evacuação geral do edifício

9) Assegure o desimpedimento dos caminhos de evacuação

10) Desenvolva procedimentos de back-up de todos os dados de gestão

 

Porquê apostar em Marketing Digital no ramo da Hotelaria e Restauração

12/08/2019
por José Ferreira

No Sector Turístico e em particular no ramo hoteleiro, o marketing digital tem assumido um papel fulcral para o sucesso das campanhas que promove. 

O marketing boca-a-boca, ganha uma nova dimensão. Atualmente os turistas partilham cada vez mais as suas experiências nas redes sociais, sendo acessíveis a milhares de pessoas e tendo cada vez maior relevância no processo de decisão do consumidor.

Assistimos a uma era digital que tem tido um desenvolvimento muito rápido e com uma adesão extraordinária. Por isso em 2019 eem adiante nos outros anos, investir no marketing digital é como uma necessidade vital. Mas não basta ter websites, presença nas redes sociais e aplicações móveis. É necessário que a informação que é divulgada nesses meios seja precisa, intuitiva, desperte interesse e atenção e que seja de qualidade.

 

Aposte nas Aplicações Móveis

As aplicações móveis fazem cada vez mais parte do nosso dia-dia, permite ter o que realmente precisam de modo fácil, em qualquer momento e em qualquer lugar. As pesquisas e reservas através destas aplicações têm tendência a aumentar exponencialmente.

Aplicações móveis

Invista nas Redes Sociais

Metade dos turistas planeiam as suas férias tendo em conta as pesquisas em redes sociais. E grande parte partilha as suas experiencias através de redes sociais. Por isso é importante que crie uma proximidade com o cliente através destes mecanismos, pois permitirá que apoie e esclareça o cliente, tem  informação atualizada e permanente. Seja ativo nas redes sociais e lance desafios, campanhas e promoções que permitam ter as páginas ativas e dinâmicas e que envolva a participação dos clientes.

Social Media

 

Desenvolva Conteúdos de Vídeo e Foto

Atualmente o YouTube é o segundo maior motor de buscas do mundo. Por isso ter uma página neste canal é cada vez mais importante. Uma imagem vale mais que mil palavras. Partilhar um vídeo de boa qualidade permite reter o potencial cliente e é uma das melhores estratégias para o conquistar. Utilize os vários mecanismos e ferramentas online para partilhar conteúdos de foto e vídeo que despertem interesse, atenção e desejo.

 vIDEO

Crie um Website Dinâmico

Se o website demorar mais de 3 segundos a abrir mais de metade dos interessados desiste e procura um concorrente. Ter um website intuitivo, dinâmico com conteúdos de imagem e vídeo, com um sistema de reservas acessível e fácil de usar, permite ter um maior número de reservas diretas e uma maior fidelização dos clientes. Apresente de forma intuitiva os serviços do hotel e a oferta turística da região onde o hotel está inserido.

 Website

Produza Emails de Marketing

Cerca de 90% dos usuários preferem atualizar-se acerca das ofertas do hotel através de emails. Produza emails que chamem à atenção, que sejam adequados ao mercado a que se destina, de modo a ter a informação certa, para o cliente certo no momento certo. Esta estratégia permite também que o cliente não se esqueça do hotel e cria maior proximidade entre o cliente e a unidade hoteleira.

 Email Marketing

 

Tudo isto requer extrema atenção, dedicação e empenho, pois os erros de informação deverão ser nulos. Uma informação e conteúdo de qualidade é preponderante para que os clientes confiem na marca que lhes está a ser apresentada e no serviço que é prestado. Trata-se de uma estratégia que está acessível a milhares de pessoas, o que implica que se existir uma falha ou erro de informação poderá comprometer o sucesso das campanhas de marketing.

5 Tendências tecnológicas em destaque no mercado da Hotelaria e Restauração

05/08/2019
por José Ferreira

Dispositivo móvel ou impressão digital como chave de porta

 Abrir a porta do quarto de hotel utilizando seu próprio smartphone ou até mesmo com a impressão digital, já começa a ser uma realidade em muitos hotéis espalhados pelo mundo, hoje em dia esta tecnologia já está muito mais acessível aos pequenos e médios estabelecimentos de Hotelaria

Já é possível encontrar modelos de fechadura inteligente, assim como efetuar um check-in digitalmente, sem necessidade do cliente ter de passar pela receção do hotel.

 Vídeo exemplo

Automação de serviços

Ao mesmo tempo em que cada vez mais clientes desejam ter acesso a um atendimento personalizado, o autoatendimento está entre as tendências tecnológicas em destaque na Hotelaria & Restauração. Ou seja, já há público para as duas situações!

Portanto, oferecer opções de check-in e check-out remotas, ou pedidos de produtos no seu restaurante/bar/café através de aplicativos que permitam que os clientes peçam diretamente através dos seus dispositivos móveis, será cada vez mais importante.

 

Ativação de serviços por voz

A ativação de serviços por voz não é uma grande novidade. Porém, apenas recentemente foi integrada nas áreas da Hotelaria & Restauração.

E será cada vez mais importante, por vários motivos – desde permitir que os funcionários se comuniquem com mais rapidez, até oferecer uma experiência nova aos clientes.

 

Inteligência artificial, chatbots e robôs

Numa pesquisa realizada pelo site Travel Zoo, 80% das 6 mil pessoas entrevistadas disseram que esperam que a inteligência artificial esteja cada vez mais presente nos hotéis.

Destes, 79% afirmaram que os robôs estariam mais capacitados para atender em diferentes línguas, e 81% acreditam que os robôs poderiam lidar com os dados dos clientes de maneira mais eficiente que os humanos.

 Muitos processos podem ser otimizados com a ajuda de bots – como, por exemplo:

– Reservas de quartos e mesas em estabelecimentos

– Esclarecimentos de dúvidas

– Solicitações de serviços durante a estadia

– Assim por diante.

 

Internet das coisas

 A Internet das Coisas (do inglês, Internet of things, IoT) é outra tendência tecnológica que tem permitido uma grande evolução para o setor da Hotelaria & Restauração

Afinal, a IoT permite que objetos sejam conectados à internet – como, por exemplo, lâmpadas, ar-condicionado, rádio, TV ou até máquinas de café e cerveja de pressão.

Essa conexão, por sua vez, torna esses objetos “inteligentes”. Ou seja, eles passam a ser monitorizados pela internet à medida em que são usados, gerando dados muito úteis sobre a experiência dos clientes.

 Video demonstrativo sobre a IOT no conceito de Hotél

A Lendas Sublimes como melhor parceira do mundo dos negócios da Hotelaria e Restauração está também atenta a todas estas novas técnologias e está já desenvolver com outros parceiros, soluções técnológicas para o seu negócio, estejam atentos porque lançaremos novidades brevemente.

 

5 Etapas para elaborar um orçamento para o sector da Hotelaria & Restauração

22/07/2019
por José Ferreira

 Tal como o Governo de um país, um Hotel, Restaurante, Bar, Café ou Pastelaria necessita igualmente de elabora o seu orçamento, no caso do Governo é anual, mas nos estabelecimentos de hotelaria e restauração a periodicidade pode ser diferente. 

A elaboração do Orçamento passa por várias etapas, a saber:

Etapa 1 - Projeção de Resultados no período medido

Quando o Orçamento começa a ser desenhado, por norma pode faltar algum tempo para termos os resultados completos. Por consequente, é efetuada uma projeção, primeiramente por parte das vendas, dos comerciais e direção.

Com base na Projeção nas Vendas, é elaborada a Projeção de Custos.

Etapa 2 - Projeção de Receitas do período seguinte

A projeção de receitas é realizada também pelas mesmas pessoas que fizeram a projeção dos resultados.

O tipo de informação produzida para cada mês do ano é a seguinte, dependente do tipo de negócio:

  • Receita de Alojamentos por segmentos de mercado
  • Quartos vendidos por segmento de mercado
  • Número de Hóspedes
  • Receita de Comidas
  • Receita de Bebidas
  • Receita de outros Departamentos (máquinas de jogos)

 

Etapa 3 - Orçamento do Staff

Em função das taxas de ocupação previstas, das receitas projetadas, é elaborado o Orçamento com o pessoal que trabalha no estabelecimento, com a inclusão de todos os encargos inerentes, nomeadamente as remunerações, impostos e outros custos com o Pessoal.

Este Orçamento define valores:

  • Cada mês do ano
  • Por Estabelecimento
  • Por Departamento
  • Por função
  • Por empregado

 

Etapa 4 - Projeção dos Custos do ano seguinte

Uma parte dos custos operacionais, para além dos Custos com Pessoal, das duas grandes áreas do Hotel, Alojamentos e Comidas e Bebidas são estimados com base nas médias dos anos anteriores. As médias podem ser por cliente, ou por quarto ocupado.

É o caso das rubricas de consumíveis, tais como:

  • Amenities
  • Material de uso corrente
  • Material de escritório
  • Produtos de limpeza
  • Utensílios de limpeza
  • Material impresso

 

Outras Rubricas:

 - Para se determinar os custos a projetar as Loiças e Roupas, são realizados Inventários e definidos stocks mínimos

- As comissões, são calculadas em % da receita dos segmentos Web, TO's e Grupos

- Os uniformes, é também realizado Inventário e é considerado o número de funcionários por departamento, por forma a determinar as necessidades de compra

- Entretenimento, é compilado um programa de atividades mensal valorizado

 

Custos de Departamentos Gerais (dependente do tipo de negócio):

- Direção Geral, Financeira, Recursos Humanos, outras: custos variáveis - cálculo pela média dos anos anteriores e custos fixos - ver preços dos contratos

- Direção Comercial:  a partir do plano estratégico definido, com foco nos mercados a incidir, define-se o que se vai gastar com viagens, brochuras, feiras, etc

- Direção de Marketing e Comunicação: baseado no plano estratégico de cada hotel, é definido o que será necessário em termos de Marketing para atingir os objetivos traçados

- Direção de Manutenção: projetam-se os custos deste departamento tendo em conta as médias de consumos dos hóspedes, no levantamento das necessidades de conservação do hotel e os contratos em vigor (custos fixos).

- Energias: baseado nas médias de consumos, para hóspede ou cliente, e os preços previstos para o sector da eletricidade, gás, água e demais energias.

 

Etapa 5 - Discussão do Orçamento

A informação é compilada pela direção do estabelecimento.

Em reunião de Direção Operacional, Direção Financeira e Direção de Recursos Humanos são analisadas as seguintes variáveis:

- Rentabilidade de cada departamento

- Variação de cada rubrica por departamento

- Realização dos ajustes que se considerarem adequados de modo a que o crescimento de receitas e custos seja equilibrado

4 dicas para atrair turistas para o seu restaurante

19/07/2019
por Luís Magalhães
turista potencial cliente

O crescimento do turismo em Portugal tem trazido novas oportunidades para a área da restauração. No entanto, atrair turistas para um restaurante, numa grande cidade ou numa aldeia pequena, pode tornar-se num trabalho constante devido à sua elevada concorrência. A diferenciação transforma-se cada vez mais num desafio maior.

Gostaria de ter, sentados nas suas mesas, mais turistas gastronómicos? Então veja 4 dicas para atrair turistas para o seu restaurante:

Divulgue os pratos típicos da região

Quando viajamos, costumamos sentir mais curiosidade em experimentar a comida local do que a internacional. Afinal, se viajamos é para conhecer novas e diferentes culturas e o normal é a gastronomia ser algo a experimentar.

Marque presença em plataformas online 

Esteja presente na Zomato, TripAdvisor, The Fork e outras plataformas. Na era digital os restaurantes que estiverem aqui presentes têm prioridade na mente dos consumidores. Um turista embora queira experimentar um pouco da gastronomia regional, não vai querer perder muito tempo na escolha do sítio onde comer o que torna a presença nestas aplicações um fator determinante.

Participe em atividades e eventos de natureza gastronómica

Festivais em geral, provas e workshops culinários, festas nacionais, tours de instituições públicas e empresas privadas, etc. Digamos que todas as ações onde vincule o restaurante com atividades turísticas da sua região, serão sempre muito estratégicas para ter turistas nas suas mesas.

Ofereça algo mais

Novamente deveremos pormo-nos no papel do turista que está a escolher entre várias opções de restaurantes e necessita de um empurrão para se decidir. Propomos-lhe então que ofereça experiências únicas que só se possam viver no seu restaurante.

Uma bebida ou cocktail irresistível como oferta de boas-vindas. Um passeio pela cozinha do restaurante para conhecer como se faz magia nos seus fogões. Um desconto especial em determinados horários. Música ao vivo…. Pense que tipo de experiência no seu negócio valorizariam os turistas, algo que não o possam fazer em mais nenhum outro lugar.

8 Indicadores Chave para monitorizar um Hotel ou Alojamento local

12/07/2019
por José Ferreira

Este artigo é em especial para gestores, donos e administradores de Hotéis e Alojamentos locais, iremos abordar 8 pontos que deve ter em conta ao analisar e monitorizar a sua rentabilidade.

 

1 – Oferta e Procura

Estabelecer relação entre o que o Hotel está a oferecer e o que que os clientes estão a procurar. Analisar, por exemplo, os quartos disponíveis e os factores externos que podem influenciar o nível de procura por estadia na sua região.


2 – Ocupação e faturação

Verificar atentamente a taxa de ocupação, o REVPAR, o ADR e a receita por reserva, por forma a aferir o estado actual do estabelecimento.


3 – Previsão de reservas

Analise indicadores como: reservas já confirmadas para os próximos dias/semanas/meses, nível de procura para esse período, etc. Com base nesses dados poderá ser necessário ajustar estratégias de pricing e/ou de marketing por exemplo.

 

4 – ROI (Retorno sobre o Investimento)

Medir o impacto da estratégia seguida,  por exemplo pelo número de reservas geradas a partir de uma campanha de marketing. Desse modo fica-se a conhecer melhor o público e a equipa, podendo direccionar-se melhor acções futuras.

 

5 – Padrões de comportamento

Perceber de que forma os seus clientes se comportam é fulcral para gerir os recursos e as ofertas do seu hotel de forma mais eficiente. Variáveis de análise: quais os canais utilizados pelos hóspedes; quais são os períodos de maior movimento; quais são os gostos e preferências dos clientes, etc


6 – Índice de satisfação

Através deste indicador fica-se a saber: principais reclamações dos clientes; principais elogios à unidade hoteleira; os profissionais que mais se destacam na opinião dos clientes; o recurso Net Promote Score qua avalia a probabilidade do estabelecimento ser indicado pelos clientes;


7 – Oportunidades de upselling

Essas oportunidades podem ser identificadas através da análise dos clientes. Se forem clientes "repeaters" pode-se sugerir algum serviço extra tendo em conta o que foi pedido na última estadia. Se for um cliente novo, sugerir serviços extra após a confirmação da reserva pode ajudar a fortalecer o relacionamento com o cliente mesmo antes da estadia se realizar. Deste modo pode-se antecipar necessidades do cliente.


8 – Índice de cancelamentos

Este índice pode indicar possíveis problemas no processo de reserva ou uma necessidade de ajuste no posicionamento do hotel. Se este indicador estiver muito alto pode significar por exemplo que o preço da diária esteja muito acima da média do mercado, ou que a política de cancelamento precisa de ser revista.

Veja ainda os produtos Lendas Sublimes específicos para Hotelaria, como moveis e alimentos. 

Como se procede à questão do horário de funcionamento e lista de preços nos estabelecimentos

01/07/2019
por José Ferreira

Horário de funcionamento


Os estabelecimentos de restauração ou de bebidas têm horário de funcionamento livre. No entanto, o município pode impor restrições, pelo que se deve consultar o respetivo regulamento na página eletrónica da câmara municipal territorialmente competente. Caso não exista um regulamento municipal em vigor, o estabelecimento pode definir livremente o horário que deseja praticar.


O dístico deve ser afixado em local visível do exterior.

 

Lista de preços


Deve existir lista de preços, junto à entrada do estabelecimento, visível do exterior e no seu interior para disponibilização aos clientes, obrigatoriamente redigidas em português, com:


a) A indicação de todos os pratos, produtos alimentares e bebidas que o 
estabelecimento forneça e respetivos preços, incluindo os do couvert, quando existente;


b) A transcrição do requisito: “Nenhum prato, produto alimentar ou bebida, incluindo o couvert, pode ser cobrado se não for solicitado pelo cliente ou por este for inutilizado.”


Quando o estabelecimento dispuser de equipamento adequado para o efeito, a lista de preços deve ser redigida em braille de modo a facilitar informação a clientes com deficiência visual.


Entende-se por couvert o conjunto de alimentos ou aperitivos identificados na lista de produtos como couvert, fornecidos a pedido do cliente, antes do início da refeição.

Informação sobre as questões de sinalização de Acessibilidades e sobre Livro de Reclamações

01/07/2019
por José Ferreira

Símbolo internacional de acessibilidade, quando aplicável?

 

Aplicável aos estabelecimentos de restauração ou de bebidas que tenham área de acesso ao público superior a 150 m2 e que respeitem as normas técnicas de acessibilidade 


Símbolo internacional de acessibilidade

Símbolo Internacional de Acesso (SIA

 Existência de Livro de Reclamações

 

Todos os estabelecimentos de atendimento ao público têm de ter nas suas instalações o “Livro de Reclamações”, de acordo com o modelo da Imprensa Nacional Casa da Moeda S.A. (INCM). Em local visível deve ser afixada a informação: “Este estabelecimento dispõe de livro de reclamações” com indicação da entidade competente para apreciação da reclamação e respetivo endereço. O livro de reclamações deve estar sempre disponível e deverá ser entregue ao cliente sempre que solicitado.

 


O prestador de serviços está obrigado a fornecer todos os elementos necessários ao correto preenchimento dos campos relativos à sua identificação, devendo ainda confirmar que o consumidor os preencheu corretamente.

 


Após o preenchimento da folha de reclamação, o prestador de serviços ou o funcionário do estabelecimento tem a obrigação de destacar do livro de reclamações o original e entregar o duplicado da reclamação ao utente, conservando em seu poder o triplicado. No prazo de 10 dias úteis, deve ser remetida a folha original à Autoridade de Saúde Alimentar e Económica (ASAE), entidade competente para fiscalizar o cumprimento das obrigações legais aplicáveis à atividade de restauração e bebidas.

 

A remessa do original da folha de reclamação pode ser acompanhada das alegações que o prestador de serviços entenda dever prestar, bem como dos esclarecimentos dispensados ao reclamante em virtude da reclamação.

 

Porque deve manter a casa de banho da sua empresa cuidada (e 6 dicas)

28/06/2019
por Luís Magalhães

A limpeza e a higiene de um estabelecimento contribuem para a boa imagem de uma empresa. É um aspeto visual que os clientes notam. A higiene é importante em todo o estabelecimento especialmente na casa de banho. Manter a casa de banho limpa e impecável é essencial para passar uma boa imagem aos clientes.

Certamente já entrou num estabelecimento que tinha a casa de banho… pouco higienizada. É uma experiência desagradável para qualquer pessoa e lembra-se da ideia que ficou do estabelecimento? O mais provável é ter sido uma ideia negativa. Por outro lado, se entrar no estabelecimento de uma marca que se posicione como uma marca de prestígio o mais certo é a casa de banho esta impecável.
A limpeza das casas de banho é importante para qualquer negócio, mas especialmente importante para a área da restauração. Ninguém quer comer uma refeição num sítio que não tenha cuidados com a casa de banho. Se não têm cuidados com a limpeza da casa de banho, será que terão cuidado com a limpeza da cozinha? Ainda para mais os clientes muitas vezes não podem ver a cozinha.

O que acabar por escapar é a rotina da limpeza. Todos sabem que devem manter a casa de banho limpa, mas no meio de outros prioridades, imprevistos e stresses de gerir um estabelecimento às vezes há algum desleixo. Para combater este desleixo certifique-se que a limpeza das casa de banho é uma prioridade e siga estas dicas para se ter uma limpeza organizada.

6 dicas para ter a casa de banho da sua empresa sempre impecável:

  1. Garanta que tudo funciona – veja se tudo que é disponibilizado é funcional e de fácil acesso para qualquer pessoa que utilize a casa de banho (crianças, adultos, idosos, deficientes);
  2. Faça uso de listas de tarefas de limpeza e manutenção em cada casa de banho – Coloque na lista aquilo que precisa de ser verificado ou limpo, assim os responsáveis da limpeza confirmam se está tudo bem após cada higienização;
  3. Mantenha uma frequência e horário para as tarefas e tenha em consideração o fluxo de clientes/funcionários e os dias de mais movimento;
  4. Forneça produtos e materiais adequados à equipa de limpeza –. Esse tipo de produto dá resultados melhores, sem muito esforço e são mais económicos;
  5. No fim de cada limpeza, faça a desinfeção de todas as superfícies
  6. Limpezas profundas regulares – para remover o que não é limpo nas limpezas de rotina dia como a sujeira, lixo no teto e fazer verificação dos ralos e tubulações;

No entanto, há certas particularidades na casa de banho que podem dar mau aspeto, e como tal deve evitar tais como:

  • Lixo espalhado na casa de banho
  • Caixotes do lixo cheios
  • Vaso sanitário sujo
  • Falta de papel higiênico
  • Piso molhado
  • Toalheiros e saboneteiras vazios

Comentários

Sem comentários

Deixe-nos a sua opinião